Apresentação e Programa

Apresentação

Esta unidade curricular de carácter teórico-prático tem como assunto exclusivo o estudo do corpo humano, na sua complexidade visual, morfológica e como imagem, tendo como instrumento para esse estudo o  desenho, nas suas variadas estratégias.

Trata-se, não de produzir desenhos “autónomos” e autorais cujo pretexto é a figura humana, mas, antes pelo contrário, de sobrevalorizar as competências do desenho como meio para entender, organizar e comunicar o conhecimento.

No cruzamento entre as “velhas” e “novas” anatomias pretende-se sistematizar, aprofundar e desenvolver competências no âmbito do estudo do corpo e das suas diferentes representações, de desenvolver e enquadrar capacidades gráficas de tratamento do desenho, problematizando as questões implicadas nessa selecções, assim como desenvolver conhecimentos sobre os conceitos implicados tais como representação, imagem, figura, corpo e modelo.

Programa

O corpo como matéria. O estudo do corpo humano.

O estudo das proporções. Como medir.

Imagem óptica e imagem cognitiva. Ver e reconhecer.

A estrutura e volumetria do corpo humano. Estudo geral e particular.

A anatomia aplicada: osteologia e miologia. O desenho de anatomia.

Estrutura e superfície. Modelação e “tramas”.

Análise de desenhos. O vocabulário especifico.

Bibliografia Principal

BAMMES, Gottfried (1982). Der_nackte_Mensch. Dresden, Veb Verlag der Kunst,

BAMMES, Gottfried (1989). Wir zeichnen den Menschen. Berlin, Volk und Wissen Volkseigener Verlag.

BAMMES, Gottfried (1990). L’étude du corps humain. Paris, Dessain et Tolra.

GOLDSTEIN, Natham , Figure Drawing. New Jersey, Prentice Hall, 1992.

HALE, R. B. (1985). Master Class in Figure Drawing. New York, Watson Guptill.

HAMPTON, Michael (2010). Figure drawing. Design and invention. 

Bibliografia Complementar

BARCSAY, J. (1982). Anatomie artistique. Paris, Berger-Levrault.

BORDES, J. (2003). História de las teorias de la Figura Humana. El dibujo, la anatomia, la proporcion, la fisiognomia. Madrid, Cátedra

HALE, R. B. (1964). Drawing Lessons from the Great Masters. New York, Watson Guptill.

HALE, R. B. (1977). Anatomy Lessons from the Great Masters. New York, Watson Guptill

BOREL, F. (1990). Le modèle ou l’ artiste séduit. Genéve, Skira.

DESCARGUES, P. and J.-L. BINET (1980). Dessins et traités d’anatomie. Paris, Ed. du Chêne.

DIDI-HUBERMAN, G. (1999). Ouvrir Venus. Paris, Galimard.

GIL, J. (1997). Metamorfoses do corpo. Lisboa, Relogio d’agua.

(1995). Identity and alterity. Figures of the body 1895/1995 Venezia. l. B. d. Venezia, Marsilio Ed.

KEMP, M. and M. WALLACE (2000). Spectacular bodies. London. H. Gallery, University of California Press.

MOLINA, J. J. G., L. CABEZAS, et al. (1989). Fortuny – Picasso y los modelos académicos de enseñanza, Junta de Castilla y Leon.

MOREAU, A. (1988). Anatomia artística. Madrid, Ediciones Norma.

MUYBRIDGE, E. (1955). The human figure in motion. New York, Dover Publ.

SILVA, P. C. (1995). O lugar do corpo. Faculdade de Ciências do Desporto. Porto.

STRAUSS, W. L. (1972). The human figure by Albercht Dürer. New York, Dover Publications.

TAVARES, E. (1994). Anatomia artística. Porto, Asa.

TOLNAY, Charles, History and Technique of Old Masters Drawings. New York, Hacker Art Books, 1983.

WALLER, S. (2006). The invention of the model. Artists and models in Paris, 1830-1870. Aldershot, England; Burlington, USA, Ashgate Publishing

WEIERMAIR, P. (1998). Ideal and reality; the image of the body in20th century art from Bonnard to Warhol. Salzburg, Salzburger Landessammlungen für modern und zeitgenössische Kunst Rupertinum.

Métodos de ensino

As 126 Horas de Trabalho Semestral (HTS) nesta disciplina são organizadas da seguinte maneira:

68 Horas de Contacto Semestral (HCS)(17 aulas 4h/s), distribuídas por:

Aulas teóricas de apresentação e explanação dos conteúdos programáticos.

Aulas teórico-práticas de:

Concretização, desenvolvimento e exploração dos exercícios/conteúdos.

Análise, critica e avaliação dos resultados obtidos.

As restantes “HTS” (58h) são utilizadas no desenvolvimento e aprofundamento da prática implicada, a partir dos enunciados específicos para e exploração de conteúdos.

Serão objecto de estudo visitas a exposições e locais de interesse para a disciplina estando ainda aberta à participação em seminários, workshops, etc.

Componentes de avaliação

A avaliação é contínua e respeita o calendário programado.
Cumprimento dos objectivos da disciplina; concretização acertada das metodologias de trabalho propostas.

Cumprimento rigoroso do plano de trabalhos proposto, atendendo ao seu grau de compreensão e desenvolvimento.

Assiduidade e pontualidade.

Aplicação das qualidades de observação através de diferentes tipologias de desenho.
Entendimento das atitudes construtivas dos registos gráficos.

Conhecimento do património histórico do desenho.
Capacidade de organização e sistematização do trabalho.

Envolvimento e capacidade de trabalho individual.
Capacidade de reflexão e autocrítica.

 

Obtenção de frequência

A avaliação é contínua, o que implica a presença sistemática dos alunos a todas as aulas. Considera-se a obtenção de frequência a participação a, no mínimo, 75% das aulas.

Cálculo de classificação final

Cumprimento do plano de trabalho da disciplina e assiduidade.

 

Melhoria da classificação final distribuída

Mediante frequência do ano lectivo seguinte.

%d bloggers like this: